Um dos elementos importantes quando gravar em Ambisonics para VR é a questão do workflow e do tratamento dos áudios.
Um microfone Ambisonics produz 4 canais que, juntos, formam um áudio chamado « A-format ». Esse áudio deve ser processado para poder ser incluído à produção, seja para VR ou formatos áudio clássicos.
O primeiro processo é de converter o A-format em B-format (pode ser Ambix ou FuMa). Esse áudio B-format pode ser incluído depois nos seus programas (tanto áudio classico como Unity por exemplo).
Os fabricantes de microfones Ambisonics oferecem o plugin gratuito para fazer essa conversão. Mas outras companhias também oferecem plugins pagos para tratamento do Ambisonics. Dentro delas, a HARPEX desenvolve o plugin HARPEX-X, considerado em geral como um dos mais eficiente e poderoso e com ótimos recursos. O preço dele fica em 498€ fora as taxas.

Gravação do trompetista Charles Schlueter com Sonosax SX62R e Soundfiled SPS 200
Gravação do trompetista Charles Schlueter com Sonosax SX62R e Soundfiled SPS 200

Neste teste, vamos comparar o resultado dos processamentos para 2 workflows. Nosso focus é a qualidade do resultado.
A base é uma gravação do primeiro movimento do 4o concerto para trompa de Mozart (K495), tocado pelo Antonio Adriani.
Foi gravado em outobro de 2017 durante o 1o festival internacional de Metais da Unirio, no Rio de Janeiro, em publico.
A gravação conta com o ar condicionado muito alto da sala Villa Lobos da Unirio, da acústica não ótima e das condições de gravação (sem ensaio e com posição do microfone limitada para preservar a visão do publico). O objetivo principal é a comparação do workflow. Assim deixamos os defeitos.
O microfone utilizado é um Soundfield SPS 200, sem coifa contra vento, com suspensão da própria Soundfield (não a melhor, como provam as infrabaixas que percebemos de vez em quando).
O gravador é um Sonosax SX62R, gravando em 48kHz/24bits.
Nenhum efeito, mixagem ou edição foram feitos. O processamento foi feito num Pro Tools 10 HD utilizando a versão 32bit AAX dos plugins (Harpex X 1.4 build 153 e Surround Zone 2 v 1.0.0).
O arquivo MOZART A-format SPS200.wav é o arquivo original do gravador, sem edição e filtragem, em A-format (4 canais).
O arquivo HARPEX HARPEX.wav é o mesmo audio, convertido do A-format para AmbiX pelo Harpex (input SPS200, output AmbiX) e do AmbiX para stereo pelo Harpex (preset ORTF para a estéreo).
O arquivo SURROUNDZONE HARPEX.wav é o mesmo áudio, convertido do A-format para B-format (FuMa) pelo Surround Zone 2 e do B-format para estéreo pelo Harpex (preset ORTF para a estéreo).
O arquivo SURROUNDZONE SURROUNDZONE.wav é o mesmo áudio, convertido do A-format para B-format (FuMa) pelo Surround Zone 2 e do B-format para stereo pelo Surround Zone 2 (preset padrão).

Os arquivos podem ser baixados aqui :

https://soundcloud.com/user-622737450/mozart-aformat-sps200

https://soundcloud.com/user-622737450/harpex-harpex

https://soundcloud.com/user-622737450/surroundzone-harpex

https://soundcloud.com/user-622737450/surroundzone-surroundzone

A diferença de resultado é gritante, com um som mais suave e limpo no workflow 100% Harpex, mesmo se o tratamento provoca uma coloração significativa nos momentos piani do piano.
A conversão AtoB do Surround Zone deixa o som com mais agudos, mais agressivo e com os sons perturbadores muito mais perceptíveis.
No caso do arquivo tratado pelo Surround Zone para AtoB e Harpex para BtoStereo, percebemos bem a diferença de coloração entre o Harpex e o Surround Zone, com a agressividade e sons parasitos mais presente com Surround Zone, mas a espacialização estéreo é bem próxima ao 100% Harpex.
O 100% Surround Zone mostra uma estéreo diferente, o que é até um certo ponto logico, mas o volume e a amplitude espacial continua menor que no caso de tratamento pelo Harpex.
Pelo meu gosto, eu acho que o Harpex se justifica completamente pela qualidade da sua conversão AtoB, além do seu workflow (tratamento audiosuite rápido quanto o Surround Zone não permite tratamento acelerado no PT 10HD).
Mesmo se você pretende trabalhar somente em ambisonics na mixagem, o beneficio do Harpex é flagrante. Ele também oferece muitas funções uteis (monitor, saída para formatos surround etc…) que justificam sua aquisição quando a questão é a qualidade.

Esperamos seus comentarios !

#010 Teste de decodificação de gravação Ambisonics

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *